quarta-feira, 31 de julho de 2013

José de Sousa MAYOR 2009

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Grand Noir, Trincadeira e Aragonez
Região: Alentejo
Teor Alcoólico: 14%
Produtor: José Maria da Fonseca Vinhos, SA
Preço: 18€ vap

Agradecimento
Uma palavra de agradecimento à José Maria da Fonseca pela atenção demonstrada para com o Blog Comer, Beber e Lazer na oferta para prova desta garrafa.

Nota de Prova
Se já havia gostado do José de Sousa 2011, mais gostei deste José de Sousa MAYOR. Bem sei que estamos a falar de um vinho Top da José Maria da Fonseca, mas conhecendo nos últimos anos toda a gama deste produtor fico ciente de que a qualidade está presente desde as gamas de entrada até às Top. O grau de qualidade vai subindo, mas a qualidade é garantida. Este José de Sousa MAYOR está num momento para consumo muito apetecível, mas os anos em garrafa serão garantia de evolução, boa evolução. Cor rubi de média concentração e com maior intensidade no núcleo. No nariz temos desde logo o barro, as notas de terra, os especiados intensos. A fruta madura está lá, bem ligada e em harmonia, mas concentro-me mais no que a rodeia. As memórias que trás são imensas e adoro estes aromas. Na boca está cheio de vida, pronto a ser fonte de prazer, com frescura da fruta como se estivesse a beber água de um cântaro, e depois aquele travo especiado, com boa tosta e o barro. Ai o barro. Gosto disto!

Classificação: 90/100

terça-feira, 30 de julho de 2013

Perdigota 2008 Reserva

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Touriga Nacional, Tinta Roriz e Touriga Franca
Região: Douro
Teor Alcoólico: 14,5%
Produtor: Caves da Quinta do Pocinho, Unip., Lda
Preço: 4,99€ vap

Nota de Prova
Vem do Pocinho, das Caves do Pocinho, um reserva Douro por um preço apelativo e que não conhecia. Cor rubi, concentrado e intenso no núcleo, ligeiras nuances mais granada e violáceos no bordo do copo. No aroma muita especiaria, com álcool um pouco acima, fruta vermelha madura um pouco escondida no conjunto, toque floral e tostados presentes. Na boca a experiência melhora. Com taninos macios, embora um pouco verdes e com muita especiaria. A fruta aparece novamente escondida de inicio mais vai abrindo com o tempo. A sensação alcoólica não é tão evidente e há melhoras com o tempo de abertura e com a conjugação gastronómica, bem temperada.
Atenção à errata no rótulo: Região "demarcasa" do Douro.

Classificação: 79/100

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Quinta da Bica 2011 Branco

Características
Tipo: Vinho Branco
Castas: Encruzado
Região: Dão
Teor Alcoólico: 13%
Produtor: Quinta da Bica Sociedade Agrícola, Lda
Preço: 4,99€ vap

Nota de Prova
Cor amarelo citrino, aspecto jovem com ligeiras nuances esverdeadas. No nariz boa intensidade a fruta citrina, toque floral e envolvencia em perfil mineral e fresco. Na boca revela-se com fruta citrina em destaque, volumoso, acidez palpitante, a puxar pela saliva, pela comida. Com frescura e mineraliade. Vai melhorar com algum tempo de garrafa.

Classificação: 89/100

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Tons de Duorum 2012 Branco

Características
Tipo: Vinho Branco
Castas: Viosinho, Rabigato, Verdelho, Arinto e Moscatel
Região: Douro
Teor Alcoólico: 13%
Produtor: Duorum Vinhos, SA
Preço: 4,99€ vap

Agradecimento
Uma palavra de agradecimento à Duorum Vinhos e à João Portugal Ramos pela atenção demonstrada para com o Blog Comer, Beber e Lazer na oferta para prova desta garrafa.

Nota de Prova
Já nas prateleiras, pronto a fazer face aos dias quentes que se aproximam, um branco que não engana e que desde o inicio nos tem brindado com qualidade acima da média e bom preço. Cor amarelo citrino, aspecto límpido. No nariz muitas notas florais, toque citrino e de fruta tropical. Perfil fresco. Boca com ligeira cremosidade, untuoso, com muita fruta fresca, maça verde e lima, boa acidez e muito equilíbrio. Mantém o perfil de outros anos e uma excelente relação qualidade - preço. Sem desculpas.

Classificação: 86/100

terça-feira, 16 de julho de 2013

PAIXÃO PELO VINHO: PASSATEMPO A MELHOR FOTOGRAFIA VÍNICA

Como autor do Blog Comer, Beber e Lazer estou a participar no Passatempo "A Melhor Fotografia Vínica" promovido pela Revista Paixão Pelo vinho.
Este é então uma publicação no Blog um pouco diferente das habituais. Venho pedir-vos, no caso de terem perfil criado no Facebook, se podem fazer um like nestas 3 fotos abaixo?

Basta clicar nas fotografias abaixo e depois é só fazer like. Não é preciso registo em nenhuma aplicação. fácil.
Muito obrigado a todos!



segunda-feira, 15 de julho de 2013

DR Grande Reserva 2007

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Touriga Nacional e Touriga Franca
Região: Douro
Teor Alcoólico: 14%
Produtor: Agri-Roncão Vinicola, Lda
Preço: 16,90€ vap

Nota de Prova
Desiludiu-me um pouco. Esperava por algo mais e am vez disso tive menos. Encontrei um bom vinho, mas esperava um grande vinho. Terei de ter com certeza um tira teimas do mesmo em breve. Cor rubi, intenso, concentrado no núcleo. Aromas com fruta vermelha madura em destaque, algumas notas de redução, especiado, notas de barrica e fugaz vegetal, erva cortada. Na boca apresenta estrutura larga, perfil algo seco,com muita especiaria e presença de barrica com muita evidência. Nota vegetal em extremo. Final longo, um pouco cansado e aquele toque vegetal que não me largou mais.

Classificação: 77/100

domingo, 14 de julho de 2013

Quinta do Boição Reserva 2009

Características
Tipo: Vinho Branco
Castas: Arinto
Região: Bucelas
Teor Alcoólico: 13%
Produtor: Enoport
Preço: 4,99€ vap

Nota de Prova
Apresenta cor amarelo citrino, algo pálido. No nariz destaque para a frescura da fruta citrina presente. Intenso, com toque de mineralidade que o trás para cima ainda mais um pouco. Chegando à boca temos um branco de acidez alta, algo seco, fresco, mineral, com muita fruta citrina, alguma maça verde e bom equilíbrio no conjunto. Final de média intensidade ideal para um inicio de refeição ou pratos mais leves.

Classificação: 80/100

sábado, 13 de julho de 2013

Bafarela 17 2008

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Touriga Nacional, Tinta Roriz, Touriga Franca
Região: Douro
Teor Alcoólico: 17%
Produtor: Brites Aguiar Lda
Preço: 20€ vap

Nota de Prova
O famoso Bafarela 17, com 17º teor alcoólico. Durante algum tempo andei curioso na procura deste vinho. Curiosidade. Queria provar. O Pedro Barata do Blog Os Vinhos fez-me a surpresa numa prova cega... que não me manteve cego durante muito tempo. Obrigado. Cor rubi concentrado, opaco, escuro, com aspecto espesso e denso. No nariz, mesmo a uma temperatura controlada mais baixa que o normal para um tinto, a intensidade da fruta preta bem madura não se faz de forma discreta, muita ameixa preta e amoras silvestres muito maduras, toques especiados e sensação alcoólica presente. Não esconde o seu teor alcoólico. Não se torna desagradável, mas está lá. Na boca, volumosa, densa, mastigável, a sensação do álcool desce um pouco, continua com notas muito intensas de ameixa preta e amoras silvestres, deixando notas licoradas e tostadas. Final longo, persistente, mas deixando sempre a marca pelo álcool. Sem comida é impossível. Com a gastronomia adequada sobe uns pontos.

Classificação: 80/100

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Lançamento do Damasceno Branco 2012

Com calor apetecem os brancos. O consumidor procura, ávido de frescura, o branco que lhe dará mais prazer em dias em que as temperaturas sobem a marcas record. Os vinhos Damasceno ainda não contavam com um Branco no seu portefólio, mas essa lacuna acaba de ser suplantada com o lançamento do Damasceno 2012 Branco.

Numa primeira fase, a prova num estilo mais formal, com a apresentação pelo Enólogo Nuno Cancela de Abreu e de David Rego, Director Técnico da Vinhos Damasceno. Aqui, para além da estrela do dia, foram também provados o Damasceno 2011 Tinto e o Damasceno 2010 Reserva tinto.

Damasceno 2012 Branco
Cor amarelo citrino, limpo. Aromas de boa intensidade a fruta exótica, notas tropicais bem ladeadas pela presença dos citrinos e muita frescura. Aparece um ligeiro toque de pão. Na boca surge com volume, ligeira untuosidade, prefil frutado, acidez equilibrada e frescura. Muito equilibrado. Sem ser apenas fruta por todo o lado. Óptima opção a solo e óptima opção com comida.
Preço: 7,99 € pvp


Damasceno 2011 Tinto
Mantém o perfil de quando o havia provado a primeira vez. Mas sobe. Está melhor. Grande intensidade da fruta madura no nariz e muito polido na boca. Cresceu em profundidade de boca, manteve a fruta fresca, surgem notas mais especiadas e vegetais. Na minha opinião está melhor. Partiu de um ponto já elevado e continua a surpreender.
Preço: 7,99 pvp
Damasceno 2010 Reserva Tinto
Cor granada, intenso, com tonalidades mais acastanhadas, de aspecto límpido. Aromas perfumados com fruta vermelha e preta bem madura, tostados leves, boa incorporação de notas vindas do estágio em barrica com um baunilha no final a apelar ao nosso lado mais guloso. Na boca está cheio de vida, volumoso, bela acidez, perfil frutado, com boa especiaria. Está num óptimo momento para ser bebido. O final de boca é longo.
Preço: 16€ pvp

Depois, numa segunda fase, à mesa. 
A apresentação decorreu no Restaurante Sea Me, em pleno Chiado, onde foi preparada uma extensa ementa para harmonizar com os vinhos que iriam ser provados e outros que apareceriam durante a refeição.
Neste aspecto, a harmonização dos pratos foi conseguida e ficou provado que estes vinhos têm uma versatilidade e um poder gastronómico muito elevado.
Dos vinhos fica a conclusão de um perfil muito bem definido, frescura, acidez sempre no ponto, versatilidade à mesa e valor garantido.

Da ementa do Sea Me ainda não me consegui esquecer daquele Sashimi de Sardinha fabuloso que ofuscou os restantes pratos.

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Quinta dos Poços Reserva 2005

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Touriga Nacional, Tinta Roriz, Touriga Franca
Região: Douro
Teor Alcoólico: 14,5%
Produtor: Quinta dos Poços
Preço: 6,99€ vap

Nota de Prova
Desde que descobri esta casa à alguns anos atrás que fiquei fã dos seus rótulos. Não é portanto de estranhar que a primeira coisa que reparei foi no facto deste ter uma boa parte do rótulo coberto por autocolantes. Não o digo apenas para este caso. Coloquem o número de autocolantes que quiserem nas garrafas, mas não tapem a beleza dos seus rótulos. Cor rubi, intenso, concentrado e opaco. No nariz notas de fruta vermelha madura, fruta preta silvestre, boas notas tostadas, notas de café, algum toffee e especiarias leves, com notas de ligeiros químicos no final. Na boca taninos presentes, algo secos, álcool mais evidente a sobressair do conjunto, um pouco explosivo, com a fruta mais escondida e notas vegetais e especiarias em fundo. Final longo e persistente. Necessita de tempo de abertura, temperatura certa para os seus 14,5 de álcool e comida.

Classificação: 80/100

segunda-feira, 8 de julho de 2013

DSF Colecção Privada Verdelho 2012

Características
Tipo: Vinho Branco
Castas: Verdelho e Verdejo
Região: Península de Setúbal
Teor Alcoólico: 12,5%
Produtor: José Maria da Fonseca Vinhos, SA
Preço: 9,49€ vap

Agradecimento
Uma palavra de agradecimento à José Maria da Fonseca pela atenção demonstrada para com o Blog Comer, Beber e Lazer na oferta para prova desta garrafa.

Nota de Prova
Quem sabe, sabe! Este é mais um produto de excelência desta casa que tão bem sabe tratar e criar vinho. Este Verdelho, (com um pequeno toque de Verdejo) está em excelente forma e não consigo de deixar de pensar nele como estando no top das boas sugestões para este calor tropical que tem assolado o nosso País. Cor amarelo citrino, com ligeiras nuances de um verde clarinho, de aspecto límpido e brilhante. No nariz brinda-nos com aromas plenos de frescura, juntando o perfil frutado, toque de fruta exótica, com alguma lima e notas a folha de louro num fundo mineral muito interessante. No palato surge com algum volume, boa acidez, fruta citrina, maça verde e toque mineral no final de boca. Bom comprimento, fresco e a pedir a companhia de pratos de verão.

Classificação: 90/100

domingo, 7 de julho de 2013

Quinta do Perdigão 2011 Rosé

Características
Tipo: Vinho Rosé
Castas: Touriga Nacional
Região: Dão
Teor Alcoólico: 13,5%
Produtor: Quinta do Perdigão Soc. Unip, Lda
Preço:
6,80€ vap

Nota de Prova

Nestes dias de calor a opção tem de ser a procura de frescura e leveza. Um vinho que nos refresque e que, ao mesmo tempo, possamos desfrutar durante mais tempo sem que se trone pesadão. Para quem não tem o Rosé na lista de opções, talvez esta onda de calor possa ser o despoletar para a inclusão de alguns Rosés à vossa mesa. Esta é mais um sugestão dentro dos requisitos acima mencionados. A sua cor rosada intensa, com nuances de vermelho casa muito bem com o verão. No nariz, de perfil frutado, com boa intensidade, em notas de framboesa, cereja e morango frescos, com toque mineral e muito fresco. Na boca continua frutado, as frutas vermelhas frescas em destaque, ligeiro citrino a cortar um toque inicial mais doce. Muito interessante e a fazer boa companhia à comida leve e fresca.


Classificação: 80/100

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Xeres, Jerez, Sherry Manzanilla | Prova e Harmonização com Conservas Nero

O Marco do Jerez compreende o triângulo entre Jerez de La Frontera, Sanlúcar de Barrameda e Puerto de Santa Maria. Aqui, mais de 3000 anos de ligação à produção de vinho permitiram desenvolver métodos de vinificação próprios e exclusivos num solo único no mundo. Também o sistema de estágio é único. Criaderas e Soleras imprimem um perfil único e ao mesmo uma garantia e qualidade ano após ano.
Resumidamente esta foi a base da proposta/desafio que o Blogger João Pedro Carvalho, autor do Blog Copo de 3, lançou e muitos aceitaram. Conhecer alguns vinhos desta região e harmonizá-los com Conservas Nero e com a presença de Joaquim Arnaud e as suas Paletas fabulosas . Sem dúvida, um casamento feliz.
Os vinhos em prova foram o Manzanilla San Leon, das Bodegas Argueso; o Fino La Ina, das Bodegas Lustau; o Amontillado NPU, das Bodegas Sanchez Romate; O Palo Cortado Regente, das Bodegas Sanchez Romate, o Oloroso Alfonso, das Bodegas Gonzales Byass e o Pedro Ximenez Nectar, das Bodegas Gonzales Byass.
Os vinhos brilharam, as Conservas Nero brilharam, as delicias gastronómicas preparadas pelo Restaurante O Solar dos Pintor brilharam e os participantes estiveram à altura.

Manzanilla San Leon
Cor citrina e aspecto límpido. Aromas discretos, com notas de flores, camomila, alguma presença salina. Na boca a primeira palavra que nos sai é... SECO. Com continuação de notas salinas, acidez presente, mas não marcante e um final de boca com ligeiro fecho amargo. Excelente ligação com o presunto do mar, a muxama ou mojama.

Fino La Ina
Este fino apresenta aromas quase imperceptíveis, com o tempo faz lembrar um pouco uma aguardente caseira, com alguma amêndoa e pão a levedar. Na boca é extremamente seco, com o estalo da aguardente embora com menos álcool. Toque herbáceo, austero e com notas de amêndoa em final.

Amontillado NPU
De cor âmbar com ligeiras tonalidades esverdeadas, este chega-nos com perfil aromático mais refinado, muita fruta seca, principalmente nozes e avelãs, e notas de caixa de tabaco. Na boca voltamos ao perfil seco embora menos austero que os anteriores e mais aprazível. Os frutos secos e uma acidez muito equilibrada fazem dele uma óptima escolha para prato de fumados, atum, caril ou variações com cogumelos.

Palo Cortado Regente
Cor âmbar, intenso, carregado, com ligeiros acastanhados. No nariz surpreende-nos com muita laranja amarga, citrino, casca interior da laranja e boa conjugação com frutos secos. Complexo e desafiante. Boca redonda, macia, com a presença dos frutos secos, muita avelã, muita noz e num final com notas tostadas de café. Delicioso. 

Oloroso Alfonso
Apresenta tonalidades âmbar mais escuras e concentradas, leves esverdeados. Perfil aromático com algum mel, boa presença dos frutos secos, alguma fruta passa, tudo muito delicado, com muito pormenor nos detalhes. Na boca continuamos dentro do que se esperava, com muita força, muita fruta seca, algum melaço a dar um toque mais doce, suave e de final longo. Precisa de comida. Estufados ou queijos curados acompanham muito bem.

Pedro Ximenez Nectar 
Cor de caramelo liquido, escuro, concentrado, com lágrima de aspecto persistente, de correr denso e espesso. No nariz extremamente rico e complexo, chegam notas de marmelada, geleias, figo seco, mel, totalmente avassalador. Leva tudo à frente. Na boca cai qual xarope. Denso, mastigável, melaço, muito doce, mas também com boa acidez. Um final de boca que dura de um dia para o outro.

Em conclusão, um excelente momento de partilha de saber, para muitos dos presentes o primeiro contacto com este género de vinhos. Uma experiência a repetir num take 2 com a fasquia um pouco mais acima.

terça-feira, 2 de julho de 2013

Blog 2009 Alicante Bouschet + Syrah

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Alicante Bosuchet e Syrah
Região: Alentejo
Teor Alcoólico: 15%
Produtor: Tiago Cabaço Wines
Preço:
25€ vap

Nota de Prova

Sem dúvida alguma o meu Blog favorito. É delicioso encontrar um vinho que realmente nos cause impacto e este Blog 2009é sem dúvida um néctar especial, único e infelizmente limitado. No copo as cores vermelha e rubi intensas, muito concentrado e escuro, revelando nuances violeta escuros. No nariz com intensidade e exuberância surge a fruta vermelha e preta bem madura, num perfil guloso e fresco ao mesmo tempo, com a madeira no seu devido lugar, bem ligado com a fruta, fazendo-nos salivar qual cachorro de Pavlov na antecipação da prova de boca. Neste aspecto está um portento, carnudo e mastigável, macio e sedoso ao toque, com volume e estrutura de um vinho de top, a fruta está toda cá e o perfil fresco mantém-no lá em cima. Os seus 15% de álcool praticamente escondidos num perfil frutado e fresco com um final de boca persistente e que parece não terminar.


Classificação: 93/100

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Summer Wine Market 2013 | Onde As Pessoas e o Vinho São Estrelas

Tarde de Verão com temperaturas a bater nos 40º em Lisboa. O mau tempo deu tréguas e o Sol marcou visita para este evento de Verão já com direito a lugar cativo nos calendários de todos os enófilos. 
Em relação ao ano passado, de igual tivemos as pessoas, os visitantes, os produtores, os promotores, os organizadores. Um dia de festa, com descontração, sem tabus, sem medo de conversar, de se sorrir ou mesmo de arrancar uma forte e audível gargalhada sempre de copo na mão. 
De diferente tudo o resto. Dou os meus parabéns à equipa do Adegga pela capacidade de todos os anos reinventarem o modelo e de surpreenderem o visitante. Este ano com a beleza e o sabor fresco do Sushi e das afrodisíacas ostras de Setúbal; com a primeira edição do adegga selection, com existência de um cantinho especial para o Dão, com novos produtores, com solidariedade social no leilão a favor da Zero Desperdício e da Re-food patrocinado pela Paulo Laureano Vinus e pela novidade tecnológica na medição de visitas em cada produtor.
Tudo numa só tarde e onde, à saída, ainda se podia adquirir a preço de feira os vinhos que mais nos tivessem marcado. A diferença é uma arte valiosa e os eventos do Adegga já nos habituaram a isso mesmo.
Mais fotos aqui.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails