segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Top 10 + 1 Blogs de Vinho & Gastronomia 2013

Dando seguimento à iniciativa TOP 10 + 1 Blogs de Vinho & Gastronomia lançada o ano passado, publico hoje os nomes dos 11 Blogs que para o Comer, Beber e Lazer se destacaram no ano de 2013. Os critérios para chegar a este TOP foram: Regularidade; Assertividade; Diversidade; Qualidade; Inovação; Pessoalidade; Layout do Blog; Independência; Qualidade do Português Escrito. Os meus parabéns!

O meu TOP 10 + 1 do ano por ordem alfabética:



sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

João Portugal Ramos Trincadeira 1997 Tinto

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Trincadeira
Região: Alentejo
Teor Alcoólico: 13%
Produtor: João Portugal Ramos Vinhos, SA
Preço: - € vap

Nota de Prova
Um vinho com alguns anos e que estava em muito boa forma. Cor vermelhão com nuances tijolo de barro, ainda com boa concentração e de aspecto limpo. Aromas que denotam que estamos perante um vinho que envelheceu com qualidade, ainda fruta perceptível, notas leves especiadas, tostados e um toque terroso que refresca o vinho. Na boca encontra-se com boa acidez e apesar de já não estar no auge está ainda com uma vivacidade muito interessante. Com bom volume, gordo, macio e suave e com bom equilíbrio de especiarias, notas vegetais e tostados. Está delicioso.

Classificação: 85/100

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Nova Gama Contemporal Selection

O Continente lançou este mês no mercado a nova gama dos seus vinhos Contemporal: o Contemporal Selection. 
O desafio partiu do Chef Miguel Castro e Silva a três reconhecidos enólogos portugueses. A Anselmo Mendes criar um conceito diferente de vinho verde; a Rui Reguinga criar um vinho alentejano com a frescura das terras altas desta região; e com Jaime Quendera a criação de um branco e um tinto Península de Setúbal e diferentes do que normalmente é produzido nesta região. Conseguir em todos eles potencial gastronómico elevado e garantir um salto qualitativo importante em relação à gama base dos vinhos Contemporal. Para cada um dos quatro vinhos foram produzidas 6000 garrafas.

CONTEMPORAL SELECTION 2012 BRANCO PENÍNSULA DE SETÚBAL | JAIME QUENDERA | 5,99€
ARINTO, ANTÃO VAZ, CHARDONNAY
Cor amarelo citrino, nuances ligeiramente esverdeadas e aspecto limpo. Citrinos com boa intensidade no nariz complementados com notas florais e sensação de frescura. Na boca encontramos bom nível de acidez, equilibrado, com perfil frutado num corpo com ligeiro volume e untuosidade. Final de persistencia média. Versatilidade à mesa. Como aperitivo, com entradas, bacalhau e algumas carnes brancas.

CONTEMPORAL SELECTION 2012 BRANCO MINHO | ANSELMO MENDES | 5,99€
ALVARINHO, LOUREIRO, AVESSO
Cor amarelo citrino, rasgos esverdeados, aspecto límpido e brilhante. No nariz, sem ser uma explosão aromática, conseguimos boas notas minerais, pêssego maduro, fruta citrina, com muita elegância e frescura. Acidez repenicada na prova de boca, perfil seco, com fruta citrina fresca, sumarenta e toque mineral final a conferencia também elegância de boca.
CONTEMPORAL SELECTION 2011 TINTO ALENTEJO | RUI REGUINGA | 6,99€
TRINCADEIRA, ALICANTE BOUSCHET, ARAGONÊS
Cor violeta intenso, concentrado no núcleo e tornando-se mais aberto no bordo do copo. Aromaticamente expressivo, com muita fruta silvestre, amora e ameixa preta bem madura, algumas notas herbáceas leves, com toque especiado e da madeira bem equilibrado num conjunto com frescura. Na boca apresenta-se com bom volume, polido, com boa acidez e vivaz, num perfil com muita fruta madura e algumas notas vegetais e herbáceas no final de boca. Final persistente.
CONTEMPORAL SELECTION 2011 TINTO PENÍNSULA DE SETÚBAL | JAIME QUENDERA ! 6,99€
TOURIGA NACIONAL, CABERNET SAUVIGNON, TINTA MIÚDA
Cor rubi, com violetas intensos, concentrado e opaco. Nariz onde a referência aromática predominante é a floral, bem ladeada por fruta vermelha e preta madura e com o traço de madeira ainda bem presente e marcante. Na boca está pujante, com força, já macio e algo redondo, mas com os taninos ainda bem marcados. Com volume, alguma secura, fruta vermelha e preta presente e bem ligada com o conjunto, algumas boas notas especiadas e fumadas. Final longo, a pedir comida, gastronomia tradicional portuguesa.

Confesso que fiquei surpreso com os vinhos apresentados. Por mais que se diga que o rótulo não influencia ou não deve influenciar a prova acho que é quase impossível fugir a esse pré-condicionamento. E neste caso, principalmente nos tintos, fiquei surpreendido pela qualidade apresentada.

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Caves São João Primeira Reserva 2011 Bruto Natural

Características
Tipo: Vinho Espumante Bruto Natural
Castas: Baga, touriga Nacional, Chardonnay e Arinto
Região: Bairrada
Teor Alcoólico: 13%
Produtor: Caves São João
Preço: 25€ vap

Nota de Prova
Um espumante brutal natural em garrafa Magum que prima pela leveza, frescura e elegância. Apresenta cor amarelo citrino, com bolha fina e persistente. Mousse leve, cremosa e fina na boca, muito frutado, maçã reineta, um pouco de água de marmelo, seco e muita frescura e elegância. Novo e com potencial de envelhecimento, mostra também já algumas qualidade para acompanhar mais qualquer coisa à mesa. Reforço mais uma vez a finess e elegância com que se apresenta na prova de boca.

Classificação: 89/100

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Feliz Natal 2013 e Boa Pinga!

Um Feliz Natal a todos os nossos leitores, amigos, seguidores, comentadores e a todos os amantes desta nossa Paixão que é Comer, Beber e Lazer. Tchim, Tchim! Comam bem, Bebam melhor, mas sempre com moderação.
 

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Blogger do Ano 2013

Vou iniciar esta publicação fazendo desde logo dois ou três pequenos esclarecimentos e/ou observações. Em primeiro lugar, entenda o caro leitor que não se trata de apontar o Blog do ano (à imagem do ano passado só no último dia do mês publicarei o meu top), mas sim de apresentar o Blogger do ano; depois, para ser mais confuso saliento que o Blogger do ano não é apenas um, mas dois, o que também pode parecer estranho pois não se trata de um lugar exequo, mas uma distinção conjunta.
No final do ano passado surgia, pé ante pé, um projecto ligado à rede social Facebook de nome #daowinelover. Rui Massa (Pingus Vinicus) e Miguel Pereira (Pingamor) uniam esforços pela sua paixão ao  Dão e propunham uma coisa muito simples: falar dos vinhos do Dão, da sua Região, das suas Tradições e da sua Cultura. As ideias fervilhavam e como quem corre por gosto não cansa, deitaram mãos ao trabalho e em pouco tempo o barulho causado pelo #daowinelover começou a crescer e tornou-se ensurdecedor. 
No decorrer de 2013, começando com um #Daowinelover Meeting inesquecível,  passando por acções inovadoras como provas online no grupo de facebook;  por um jantar  #Daowinelover Pink Party onde o rosé era Rei (ou Rainha) e apenas havia este tipo de vinho à prova; um dia com o  #Daowinelover White Day no Restaurante Claro cheio de entusiastas do vinho do Dão; ou terminando o ano com o #Daowinelover TN Day no qual a Touriga Nacional se mostrou actual e de boa saúde; os dois Wine Bloggers mostraram uma determinação e uma capacidade de gerar atracção a uma região vitivinícola que sou obrigado a dizer que nunca ouvi falar tanto no Dão ou nunca bebi tão vinho do Dão como no último ano. Serei eu espécime único? Não me parece. 
Parabéns ao grande trabalho efectuado em 2013, boas entradas em 2014 e pergunto se não haverá por aí mais Bloggers que queiram fazer o mesmo por outra região e pelo vinho português?

José Maria da Fonseca | Evento Wine Bloggers 2013

No passado dia 2 de Novembro foi dia de Wine Bloggers Day na José Maria da Fonseca.  Um evento que começa a criar raízes nesta altura do ano. Mais do que uma simples visita ou de uma prova de vinhos, ano após ano são vividas novas experiências,  e este ano não foi diferente. 
A manhã começou com uma pequena introdução do que iríamos provar. O Eng. Domingos Soares Franco situou-nos no que se iria passar de seguida.  Uma prova de castas brancas da vindima de 2013, provenientes de amostras de cuba engarrafadas no dia anterior. Uma surpresa para os presentes, um desafio para todos e sem dúvida uma nova experiência onde o objectivo de aprender mais acerca do vinho foi atingido.
1. VERDELHO (Solo argilo calcário)
Cor amarelo citrino, com nuances esverdeadas. Aromas citrinos, ligeiro floral e boa mineralidade. Boca com boa acidez,  muita fruta citrina, algum pêssego,  fresco e mineral.

2. VERDEJO (Solo areia)
Cor amarelo citrino, nuances esverdeadas,  um pouco mais claro que o anterior. Aromaticamente menos intenso, fruta citrina, ligeiros toques doces e toque mineral. Boca com acidez mais rispida, mais verde, com a fruta verde ácida,  seco. Final de boca persistente.

3. SAUVIGNON BLANC
Cor amarelo citrino, algo turvo. Aromas fruta tropical, maracujá,  abacaxi maduro, com toque citrino. Boca com boa fruta fresca, equilibrado,  com secura de boca,  fazendo salivar. Parece mais completo.  Termina com fruta maracujá fresco.

4. VIOSINHO
Cor amarelo citrino,  nuances esverdeadas e aspecto limpo. O nariz está com média intensidade,  leves citrinos e tropicais, toque floral, limpo. Boca com acidez, com secura, com boa fruta fresca, tropicais,  alguma lima, bom comprimento e frescura final.

5. ALVARINHO
Cor amarelo citrino, turvo, parece sumol de ananás.  Aromas fechados, ainda muito escondidos, fruta ainda pouco notória. Boca com boa acidez, mais uma vez com agradável secura, fruta a encher o palato, fresca, com notas tropicais. Final seco e bem frutadinho.

De seguida, uma prova mais atenta a dois vinhos com alguma história para contar. O primeiro pela curiosidade de conter algumas das castas e uvas provenientes da vindima do ano transacto,  onde os bloggers também participaram.  O segundo, por ter sido um espumante com parto difícil,  estando quase para ficar apenas pelo projecto, mas que nasceu já em finais deste verão.

COLECÇÃO PRIVADA DSF 152 CASTAS 2012 TINTO
Cor rubi, média concentração,  aspecto limpo. Nariz intenso, muita fruta vermelha madura,  amoras silvestres,  fresco. Na boca está fresco, polido, pronto a beber,  com muita fruta fresca, boa mineralidade, final de boca médio longo, muito fresco.

DSF ESPUMANTE ROSÉ 2012 MOSCATEL ROXO
Continua a dividir opiniões, todavia, na minha opinião, continua a ser uma boa opção para um inicio de refeição leve ou simplesmente para uma conversa longa de uma quente final de tarde de verão. Com tempo de garrafa poderemos ter outra surpresa. Ver nota de prova aqui.

Por fim, e já à mesa com algumas das delícias com que a região de Azeitão nos brinda, foi possível provar e degustar com a harmonização gastronómica,  os restantes vinhos abaixo e com algumas surpresas finais.

PASMADOS 2009 BRANCO
Cor amarelo dourado, intenso. Aromas com algum traço de oxidação,  perfumado,  com toque floral, fruta citrina e toque leve de madeira bem integrada. Boca com acidez, com vivacidade,  fruta seca,  bem equilibrado. Acompanhou um creme de cenoura.

JOSÉ DE SOUSA MAYOR 2011 TINTO
Cor granada, com rasgos bonitos de lilás.  No nariz está com boa intensidade a frutos pretos bem maduros, algum carnudo, algo marcador Alcoólico,  mas sem impacto no global. Boa especiaria, tostado leve e bem ligado. Na boca está com muita pujança,  vivacidade e boa acidez. Macio, corpulento,  com uma estrutura fantástica,  com bons especiados. Termina persistente,  longo.

J 2011 TINTO
Cor granada intenso, mais concentrado no núcleo,  mais aberto e com violetas definidos no bordo do copo. Nariz muito elegante,  com a fruta vermelha e preta madura bem colocada, com traço terroso, barrento, com muita frescura a envolver o bouquet. Na boca encontramos um tinto corpulento,  fresco, com acidez, largo e com travo especiado muito equilibrado.  Termina fresco, fresco e longo, longo.

PERIQUITA SUPERYOR 2009 TINTO
Cor rubi intenso,  concentrado no núcleo,  de média concentrado no bordo do copo. Aromas frutados, fruta vermelha madura, frescura, boa especiaria,  tosta leve, com madeira bem ligada. Na boca está vivaz, excelente acidez e estrutura,  boca larga, ligeira untuosidade, com muita fruta fresca,  boas especiarias,  e comprimento longo. Mais um grande vinho.

DSF MOSCATEL DE SETÚBAL ARMAGNAC 1999
Cor âmbar,  definida, com aspecto límpido.  Aromas com fruta seca, flor de laranjeira,  melaço,  caramelo leve, muito equilibrado,  sem excessos. Boca macia, aveludada,  com melaço,  fruta seca e passa, com excelente acidez, fresco e para continuar.

MOSCATEL SETÚBAL SUPERIOR 1975
Cor castanho esverdeado,  tonalidades de caramelo,  limpo. No nariz presença de um pouco de vinagrinho, fruta seca, nozes, avelãs,  passas, boa acidez. Boca aveludada, cremosidade, fruta seca, fruta passa, caramelo, melaço,  com uma profundidade espectacular,  e um final em grande.

AGUARDENTE EXCELSIOR
A terminar uma prova, selecta, da Aguardente Velha Reserva Excelsior. Poucas garrafas, apresentação cuidada e de luxo e uma prova de luxo. Sem levantar muito mais o véu acerca desta preciosidade, aguardemos calmamente os próximos episódios.

domingo, 22 de dezembro de 2013

Vestigius | Um Wine Bar a Conhecer

E se de repente lhe aconselhá-se um Wine Bar em Lisboa, a dois passos da Estação Ferroviária do Cais do Sodré, a dois passinhos da margem do rio Tejo, a um saltinho do Bairro Alto e do centro histórico de Lisboa e com uma carta de vinhos riquíssima? Ficaria curioso e com vontade de conhecer?
 
Recentemente aberto ao público, o Wine Bar Vestigius aposta na diferença para o cativar e para promover o vinho de forma acertada. Mais do que um Wine Bar puro é um local polivalente onde pequenos concertos, exposições, workshops e outro tipo de eventos deverá acontecer. O espaço, um dos antigos e abandonados armazéns piscatórios da zona do Cais do Sodré, foi agora restaurado, decorado e construído ao pormenor para criar um Wine Bar onde o visitante se consiga sentir como se estivesse a beber um vinho em sua casa. 
 
Uma sala ampla, mas onde curiosamente se conseguem estabelecer "cantinhos" com muita privacidade, conforto, aconchego e com aquela sensação de "lar doce lar".
 

Vinho a copo, vinho à garrafa e com um sommelier que para além do saber que concentra em si, emana toda a sua paixão que sente pelo vinho. Para além disso, e porque o Rei aqui é o vinho, temos à nossa disposição todos os elementos para um momento vínico de excelência. Copos correctos, temperatura no ponto, sem fumos na sala, música ambiente no volume certo para uma boa conversa e se lhe apetecer uma oferta gastronómica de tapas e petiscos que não o deixará indiferente na ligação com o vinho que escolher.
 
Na sua primeira visita decerto irá perder algum tempo a admirar cada pormenor deste Wine Bar, repleto de pequenas-grandes obras de arte, com um conceito de biblioteca original e, por mais estranho que lhe pareça a minha próxima observação,  as casas de banho mais espectaculares que vi nos últimos tempos. 
 
VESTIGIUS
Cais do Gás, Armazém A, Nº 17
1200 Lisboa
Tel:  218 203 320
Aberto: Ter - Qua: 11:00 - 0:00 / Qui - Sáb: 11:00 - 2:00 / Dom: 11:00 - 18:30

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

93 Anos de História Caves São João

Em Julho de 2010 tiveram inicio as comemorações centenárias das Caves de São João. Até ao seu ponto mais alto, em 2020, serão lançadas diversas iniciativas e actividades entre as quais o lançamento anual de um vinho considerado de qualidade excepcional reflectindo a sua imagem em cada uma das 10 décadas que compõem os 100 anos de vida das Caves de São João, ou seja, de 1920 a 2020. O resultado será uma magnifica colecção de 11 garrafas de vinho de eleição não só pela sua qualidade, mas também pelo seu valor histórico.
Este ano, no passado 13 de dezembro, foi apresentada a garrafa número 4 desta colecção retratando a década 1950 a 1960, os loucos anos 50. Esta decorreu no Solar do Dão, em Viseu, pois com o lançamento do 93 Anos de História Caves São João 2011 Tinto é homenageado o inicio da comercialização por parte das Caves de São João da marca Porta dos Cavaleiros.

CAVES DE SÃO JOÃO 93 ANOS DE HISTÓRIA 2011 TINTO
DÃO | TOURIGA NACIONAL | ENÓLOGO JOSÉ CARVALHEIRA | 14% | 25€ 
Cor rubi, concentrado e intenso,  opaco no núcleo,  com bonitas nuances violeta escuro. Aromas intensos a fruta vermelha e preta madura, amora silvestre, compota, floral bem colocado, discreto e delicado, notas gulosas de cacau, chocolate, com bom especiado e muita frescura. Na boca surge cheio de vida, pujante, acidez alta e com boa secura e frescura. O perfil da fruta é fresco, definido, com as notas especiadas e de madeira bem ligadas no conjunto. Tem um final longo.

Um tinto feito para durar, tentando reproduzir o perfil do tinto a partir da Touriga Nacional dos anos 50 e com uma imagem cativante, segura e que traduz muito bem a essência de uma década com figuras e momentos marcantes para a história mundial.

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

8 (OITO) 2007 Tinto

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Alicante Bouschet, Trincadeira e Syrah
Região: Alentejo
Teor Alcoólico: 13%
Produtor: Adega Mayor - Sociedade Vitivinicola, Agrícola e Enoturistica, SA
Preço: 54€ vap

Nota de Prova
"Às 08:08:08 da manhã do dia 08/08/08, 8 pessoas enchiam 8008 garrafas orgulhosamente baptizadas com o número da eternidade."
Um vinho de eleição, não fosse este um dos topos de gama deste produtor. Cor rubi a cair para um granada intenso, de média concentração, no bordo alguma coloração tijolada mas pouco marcante. Aromas intensos com muita fruta vermelha e preta madura,com muita fruta silvestre, amoras maduras, notas torradas, toffee, com especiarias a marcar pontos, num perfil onde a madeira aparece bem ligada com o conjunto. Na boca algumas notas de evolução, com vida, acidez lá em cima, frutas pretas, frescura, muito aveludado e macio. Final longo..

Classificação: 91/100

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Tapada do Chaves Reserva 1999 Tinto

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Trincadeira, Aragonez, Piriquita e Tinta Francesa
Região: Alentejo
Teor Alcoólico: 13%
Produtor: Tapada do Chaves - Sociedade Agrícola e Comercial, SA
Preço: - € vap

Nota de Prova
Foi com alguma expectativa que abri esta garrafa. Não só pelo ano, que me é especial, mas também pelo vinho em si me faziam salivar um pouco mesmo antes de lhe sentir os aromas tapados pelo tempo. Com cerca de uma hora antes do momento que o queria provar dei-lhe, finalmente, ar. Garrafa aberta e primeiro contacto pelo olfato mantiveram a linha lá em cima. Continuei. No copo surgiu com uma cor já meio tijolo antigo, ainda com concentração média, mas já com notas evidentes da passagem do tempo. Bonita cor, -pensei eu -, e aspecto limpo. No nariz encontrava ainda alguma fruta, mas também a fruta seca, boa especiaria e tostado muito bem integrado e elegante. Continuava de perfil fresco. Não hesitei e provei-o. Fantástico! Continua um vinho cheio de vida, bem com os anos que carrega, com acidez e taninos já bem polidos pelo tempo. Sedoso, fresco, elegnte e com bom tempo de final de boca. Ainda bem que tenho outra na garrafeira.
Com potencial de guarda.

Classificação: 89/100

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Adegga Wine Market 2013 | Fechar o Ano em Grande

No passado sábado à tarde, quando finalmente saí do Adegga Wine Market, contava já com a pressão de um enorme atraso em relação ao planeamento que tinha feito para esse dia. Embora tivesse tentado foram várias as tentativas goradas de abandono do recinto. Tal como um íman voltava a ser puxado lá para dentro, encontrava mais uma cara conhecida, mais um motivo de conversa, mais uma oportunidade para provar um vinho, aquele vinho e o outro vinho. 

Num ambiente que a todos envolveu por completo ficou, mais uma vez, a sensação que este evento não é como os restantes. Não direi pior, nem direi melhor. Mas com certeza diferente. Aqui, ano após ano, todos parecem interessados no mesmo,


na Paixão comum pelo vinho, o que, embora estivéssemos num conceito de mercado brilhava mais do que tudo o resto.

Os sorrisos, muitos sorrisos, as gargalhadas sempre acompanhadas do convivo salutar e sempre com vinho como ligação. Interessante também um ligeiro transformar do público deste evento. Deixou de ser o evento de cariz marcadamente para o jovem público. O evento já chega a todas as faixas etárias de uma forma mais igual.

Por outro lado, todos os anos esperamos algo novo. E este ano não foi diferente. A Sala Premium, sempre recheada de tesouros imperdíveis, apresentou-se num novo conceito que confesso ser mais do meu agrado. Com calma, poderíamos desta vez provar cada um dos nectares à nossa velocidade, sem pressão que o vinho também ser quer com tempo para o apreciar. O limite era o final do evento.

A novidade das novidades caiu sobre uma sessão fotográfica, com adereços múltiplos e divertidos, que apelavam à imaginação de cada um e que encantou quem por lá passou. Uma festa. A promoção do vinho com caras bonitas, com sorrisos e com uma alegria contagiante. 
Aguardando por 2014, mais uma vez os meus parabéns. 


LinkWithin

Related Posts with Thumbnails