segunda-feira, 30 de março de 2015

Santos da Casa 2012 Tinto

SANTOS DA CASA 2012 TINTO | DOURO | 13% | PVP  5,48€
TOURIGA NACIONAL, TOURIGA FRANCA, TINTA RORIZ
CASCA WINES PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE VINHOS, LDA
84 / 100

Novidade duriense da Santos & Seixo que resolveu lançar o desafio ao Enólogo Hélder Cunha de criar vinhos que pudessem facilitar a escolha do consumidor no momento da compra do vinho.
O conceito está engraçado. Começamos por uma imagem a condizer com o nome do vinho. Vestimenta à abade, com um terço junto no pack e algumas palavras no contra-rótulo. Também a forma directa com que apresenta o vinho, com um gráfico de medição de intensidade, doçura, frescura e Maciez, aproxima o consumidor do seu grande objectivo. Mostrar o vinho ao consumidor menos esclarecido nos termos técnicos que costumam aparecer nos contra-rótulos. Simples.
Cor rubi intenso, concentrado e aspecto jovem. No nariz a fruta vermelha e preta com conta peso e medida, amoras silvestres maduras, ameixa preta, bem ligados com perfumados florais, tostados leves, cacau e traço especiado. Boca com acidez equilibrada, taninos seguros, presentes, já pronto e polido, com perfil frutado, fresco, especiado e com final persistente.
Uma opção nesta época Pascal à venda neste momento no Pingo Doce.

domingo, 29 de março de 2015

Beyra 2012 Tinto

BEYRA 2012 TINTO | BEIRA INTERIOR | 12,5% | PVP  3,99€
ALFROCHEIRO, ARAGONEZ, JAEN, TOURIGA NACIONAL
RUI REBOREDO MADEIRA VINHOS SA
84 / 100

Solos graníticos e xistosos com filões de quartzo, altitude média de 700 metros, na bacia hidrográfica do rio Douro. Mostra um vinho de altitude, fresco e muito mineral.
Cor rubi de média concentração, violetas jovens e aspecto limpo. Aromas com muita fruta vermelha e preta silvestre, algum bosque, húmus, muito mineral e fresco. Boca que assume a mineralidade e frescura que lhe apreciei no nariz, fruta no ponto e final de boca longo. Um vinho honesto, fresco e com um preço justo.

sábado, 28 de março de 2015

Comidas Conversadas | Memórias de Herança Transmontana

As minhas raízes transmontanas ditaram a compra deste livro já há algum tempo. O autor, de Torre de Moncorvo, bem perto da minha Carviçais, na sua forma bem característica de escrever, levou-me a regressar no tempo, a recordar palavras já esquecidas, a fazer viver memórias escondidas e a relembrar Trás-Os-Montes como mais um palco de eleição no nosso Portugal. 
Um série de conversas e histórias em redor do comer, do bom comer, do revelar de curiosidades e da partilha de costumes em que Trás-Os-Montes e o alto douro são o pano de fundo de excelência. 
Conversar com as Alheiras de Mirandela, Tabafeias e vilões Larotas e Azedos; revisitar os Cuscos de Vinhais; os rabos de Polvo das Bruxas; o Elogio ao Castenehiro; passando pela sexualidade dos vinhos; pelas doçuras de sabor amendoado e o terminar no azeite. 
Uma pedra preciosa a não perder.

PS: O Glossário final é um achado!
______________________________________________________________________
COMIDAS CONVERSADAS - MEMÓRIAS DE HERANÇA TRANSMONTANA
ANTÓNIO MANUEL MONTEIRO
ÂNCORA EDITORA
PVP: 16€
LIVRARIA BERTRAND, FNAC E OUTRAS

terça-feira, 24 de março de 2015

Real Companhia Velha Séries Samarrinho 2013 Branco

REAL COMPANHIA VELHA SÉRIES SAMARRINHO 2013 BRANCO | DOURO | 13% | PVP  14€
SAMARRINHO
REAL COMPANHIA VELHA
88 / 100

A Real Companhia Velha tem na gama Séries o objectivo de apresentar vinhos de nicho, ensaios, procurando sempre experimentar e mostrar diferentes técnicas, castas ou abordagens que possam vir no futuro a mostrar-se como opções viáveis no âmbito comercial. De produção baixa, muito limitada e apenas para um ano de colheita nesta linha. A procura de novos vinhos e a paixão pela inovação são grandes motores para esta produção.
Assim, este branco da casta Samarrinho,-sim, Samarrinho-, surge como mais uma boa surpresa de apenas 858 garrafas e que promete ser alvo da procura de todo o consumidor de vinho mais atento. Uma casta desconhecida para mim e que me encantou logo desde o inicio.
De cor amarelo citrino, limpo e com esverdadeados jovens. Surge no nariz perfumado, adivinhando-se aos poucos um ligeiro petrolado, bem ligado com as notas de fruta citrina, uma ameixa branca madura, algum alperce passa e mesmo mel. Boca com uma acidez estaladiça, completamente seco, mas com notas adocicadas provenientes da própria casta após evolução na garrafa. Que boca. As possibilidades à mesa são muitas e diversas. A guarda por mais uns anos aconselha-se sem qualquer dúvida. A aposta nesta casta para o futuro pela Real Companhia Velha obrigatória.

quinta-feira, 19 de março de 2015

Quinta da Pellada Primus 2007 Branco

QUINTA DA PELLADA PRIMUS 2007 BRANCO | DÃO | 13% | PVP  26€
ENCRUZADO, CERCEAL, BICAL
ALVARO MANUEL A. F. CASTRO
93 / 100

Alguns vinhos brancos, conforme vão envelhecendo, ou melhor, com o passar dos anos em garrafa vão crescendo, crescendo de tal forma que quando decidimos bebê-los temos muitas vezes de admitir a excelência que é um branco com idade. Este é, sem dúvida, o caso.
As vinhas velhas da Quinta da Pellada são o berço deste Primus que apresenta cor amarela já com nuances palha dourada e aspecto limpo. Apaixona desde logo pelos seus aromas. Impacto inicial floral, alguma cera de abelha, lima, algum melado bem equilibrado pela sua mineralidade e frescura. Espantosa complexidade que nos agarra por completo. Na boca continua a impressionar. Com fruta ainda fresca, vivaz e com todas as peças a encaixarem na perfeição. Ai que bem que calhava com um queijinho de pasta mole dali bem perto.

quarta-feira, 18 de março de 2015

Quinta de Cidrô Sauvignon Blanc 2012 Branco

QUINTA DE CIDRÔ SAUVIGNON BLANC 2012 BRANCO | DOURO | 13% | PVP  7€
SAUVIGNON BLANC
REAL COMPANHIA VELHA
86 / 100

Nascido no Douro, numa casa onde a tradição na produção de vinho é antiga, surge um sauvignon blanc cheio de carácter, frescura e características que nos remetem para esta casta. Ainda jovem, de cor amarela definida, aspecto limpo e brilhante. No nariz surge intenso, com notas de pimento, toranja, relva cortada, fresco e mineral. Um reboliço para o olfacto. Na boca continua a manter um certo perfil herbáceo, citrino com ligeiro travo amargo final, cheio de vida, acidez mordaz e um final de boca persistente.

terça-feira, 17 de março de 2015

Endógenos | O Carolo De Milho Pelo Chef Alexis Gregório

O Carolo de Milho foi a estrela da 9ª edição do Projecto Endógenos que decorreu no restaurante Adega Machado em Lisboa. Espaço histórico, entretanto reaberto após obras profundas de remodelação, que para além da gastronomia portuguesa é casa para se ouvir Fado.

Um espaço moderno, um pouco diferente dos habituais restaurantes ou casas dedicadas ao Fado, mas que todo ele respira Fado. Ambiente cuidado, aconchegante, com elegância e onde cada canto faz referência ao mundo do Fado.

Uma pequena curiosidade que me deixou encantado é o facto de haver uma pequena sala de espera, onde os clientes podem aguardar antes de entrar para a sala, que é um verdadeiro mimo. Garrafeira de um lado, fotografias alusivas ao Fado de outro e uns apetecíveis cadeirões que nos chamam a cada olhar. Perfeito.
A estrela da noite não foi o Fado, mas o Carolo de Milho. O desafio apresentado ao Chef Alexis Gregório era aliciante e exigente. Servir uma refeição onde o Carolo de Milho fosse o ingrediente em destaque em cada prato. Desde a mais pequena entrada até à sobremesa. O resultado foi surpreendente.
O meu contacto com o Carolo de Milho apenas existia através de um doce feito pelos meus Pais, que por sua vez já era feito pelos meus Avós e que por sua vez já vinha de seus antepassados. Doce que era e ainda é  presença obrigatória na mesa de Natal e à qual sempre ouvi chamar de "Milhos". Um manjar doce, barato e que faz as delicias de todos nesta festiva quadra.
Pensar no Carolo de Milho como ingrediente para uma série de pratos era, para mim, de inicio um pouco desafiante e difícil de imaginar, mas o Chef Alexis Gregório respondeu com mestria e o resultado foi a todos os níveis surpreendente.
O Projecto Endógenos visa promover e valorizar produtos endógenos portugueses da terra e de mar e suas regiões de origem criando novas interpretações de experiências enogastronómicas. Reavivar produtos de excelência que, por uma razão ou por outra, foram caindo no esquecimento e assim tomam um pouco do lugar que deveriam ter na nossa mesa.

Amuse Bouche: Massa de Sêmola de Milho e Sementes com Recheio de Cogumelos sobre rede de Milho Frita.

Sopa: Olhó Passarinho! Consomé de Codorniz, Carolo de Milho e Poejo

 Entrada: Milho Malhoa. Soufle de Carolo de Milho, Queijo de Nisa e Chouriço.

Prato de Peixe: Fado dos Trópicos. Carabineiro do Algarve, Farofa Com Massa Leveda de Carolo, Funcho e Aipo

Prato de Peixe: Falsa Baiana. Robalo da Costa Portuguesa, Falso Xerém com Ameijoas Desidratadas, Funcho e Laranja.

Prato de Carne: Donde Vens Amália? Cachaço de Porco Preto, Milho Frito, Legumes Glaceados e pipoca doce com mel.

Sobremesa: A Doce Maria de Lourdes. Perfeita harmonização entre o doce e o acido. Gelado de Milho artesanal, com um puré defrutos vermelhos e crumble delicioso.

Ver mais fotografias aqui.

segunda-feira, 16 de março de 2015

Outeiro 2010 Tinto

OUTEIRO 2010 TINTO | ALENTEJO | 15% | PVP  22€
SYRAH, PETIT VERDOT
TERRAS DE ALTER CV, LDA
17

A selecção das melhores uvas destas castas vindas da Vinha da Boavista produzem ano após ano este tinto alentejano de elevada qualidade. Apesar de já se encontrar no mercado a colheita de 2011, este continua novo e com condições de se aguentar por mais uns anos num bom nível. Apresenta cor rubi, intenso e concentrado, ai da com poucas notas da passagem dos anos. Aromas onde as notas da fruta vermelha e preta dominam, madura, compotada mesmo, com notas bem integradas do estágio em barrica, especiarias, algum cacau e grão de café torrado. Boca que mostra estrutura, corpulência, continuação das notas a fruta vermelha e preta bem madura, com grande equilíbrio, embora conforme vai aquecendo se vá notando mais o álcool e acabe por lentamente se tornar um pouco mais pesado. Ainda assim, com boa presença, bom conjunto e um final de boca longo.

quinta-feira, 12 de março de 2015

Crooked Vines 2009 Branco

CROOKED VINES 2009 BRANCO | DOURO | 14% | PVP  16€
GOUVEIO, VIOSINHO, RABIGATO
GR CONSULTORES, LDA - SECRETSPOTWINES
80 / 100

Com alguma expectativa provei este vinho. Gosto muito do rótulo, da imagem e do próprio nome que mesmo sendo em inglês tem aquele dom de dizer logo tudo de uma só vez. Do vinho esperava mais. Esperava mais vivacidade e mais frescura apesar do ano ido da colheita. Mais boca. Não deixa de ser um bom vinho, mas faltou ali qualquer coisa mais tendo em conta o que esperava dele.
Cor palha dourada, amarelo definido, aspecto limpo. Aromas exuberantes a fruta tropical, fruta de caroço, com notas da barrica presentes, dando complexidade, mas marcando-lhe o perfil, traço mineral final. No palato sinto-o um pouco mais gordo do que esperava, complexo e untuoso, a acidez está lá, mas já com alguma falta de força, a fruta vai sendo o garante da frescura que ainda tem. Final longo. A beber o quanto antes. Terei tido azar na garrafa?

quarta-feira, 11 de março de 2015

Villa Oliveira 2009 Tinto

VILLA OLIVEIRA 2009 TINTO | DÃO | 13,5% | PVP  32€
TOURIGA NACIONAL
O ABRIGO DA PASSARELLA, LDA
93 / 100

Sem dúvida alguma um dos grandes Touriga Nacional. O topo de gama da Casa da Passarella mostra-se já bem preparado para ser bebido embora, caso sejamos exigentes, ainda o consideremos novo. Com muitos anos pela frente com toda a certeza. Um vinho que pela cor parece ser ainda de colheita recente, rubi intenso e fechado, de aspecto limpo e lágrima escorreita. Aromas intensos, onde a fruta madura tem frescura e elegância, as notas florais e as de estágio em barrica aparecem bem ligadas, leves, complementando o vinho na sua raiz e não alterando-o. Boca com estrutura, está cá tudo, mas com grande elegância e frescura, taninos presentes, algo polidos,com cada coisa no seu lugar e a fazer o seu papel. A beber já ou a guardar por mais alguns anos. Um Dão fresco, elegante e sem a garra marcante da madeira em excesso.

terça-feira, 10 de março de 2015

Gala Vinhos do Tejo 2015

O Convento de S. Francisco em Santarém foi no passado dia 7 de Março palco para mais uma Gala dos Vinhos do Tejo.
Momento para apresentação dos premiados do VI Concurso de Vinhos Engarrafados do Tejo organizado pela Comissão Vitivinícola Regional do Tejo em parceria com a Confraria Enófila de Nossa Senhora do Tejo e com o apoio da Câmara Municipal do Cartaxo.
O Concurso tem como grande objectivo a promoção da marca Vinhos do Tejo, o estímulo da produção de vinhos de qualidade e dar a conhecer os melhores vinhos da região.
Prémios Excelência, Ouro e Prata distinguiram 49 vinhos. Algumas surpresas entre outras esperadas confirmações que poderá confirmar aqui.
Foram também distinguidos a Adega Cooperativa de Cartaxo, galardoada com o troféu “Empresa Excelência Vinhos do Tejo 2014”, o Eng. Pedro Gil com o troféu “Enólogo do Ano Vinhos do Tejo 2014” e a Adega Cooperativa de Almeirim com o troféu “Empresa Dinamismo Vinhos do Tejo 2014”.
Nos vinhos “Excelência” destaque para o Produtor Casal do Conde que arrecadou os dois troféus, com os vinhos Terra Chã Branco 2012 e Casal do Conde Touriga Nacional / Cabernet Sauvignon Reserva Tinto 2012. 
No evento houve lugar à apresentação dos premiados para os melhores restaurantes do Concurso Tejo Gourmet lançado pela primeira vez a nível nacional.
Os troféus para “O Melhor Restaurante” e “Melhor Restaurante Tradicional” foram atribuídos ao restaurante “Bem-me-quer” (Braga); o troféu de “Melhor Restaurante Gourmet” foi atribuído ao “Segredos de Vale Manso” (Abrantes); o restaurante eleito” Melhor Restaurante Popular” foi a “Adega do Albertino” (Caldas da Rainha). Já o troféu ” Revelação” foi entregue aos restaurantes “Taberna Ó Balcão” (Santarém) e “Taberna Rua das Flores” (Lisboa). Ao restaurante” “A Lúria” (S. Pedro Tomar) a sua carta de vinhos valeu-lhe o troféu “Melhor Carta de Vinhos do Tejo” e ao restaurante “Almourol” (Tancos), o troféu de “Melhor Promoção”.

sexta-feira, 6 de março de 2015

Flor do Tua Grande Reserva 2011 Tinto

FLOR DO TUA GRANDE RESERVA 2011 TINTO | TRÁS-OS-MONTES | 14,5% | PVP  28,50€
TOURIGA NACIONAL, TOURIGA FRANCA
ESSÊNCIA DO DOURO, WINES AND GOURMET, LDA
92 / 100

Provavelmente uma das últimas boas surpresas que bebi. Sem dúvida um dos vinhos que mais prazer me deu em beber nos últimos tempos. Um DOC Trás-Os-Montes, de produção limitada a um baixo número de garrafas e que mostra o potencial imenso que esta região tem para produzir vinhos de qualidade. Cor rubi intenso, concentrado e opaco. No nariz a intensidade dos frutos pretos silvestres e de árvore sobressaem, muita amora e ameixa preta, madeira bem ligada, fundo fresco com toque especiado e algo balsâmico que surpreende. Na boca apresenta-se cheio, volumoso, com estrutura para durar mais uns anos em boa forma. À temperatura certa os 14,5º de álcool não chegam a chatear e o bom equilíbrio entre a fruta, a madeira e um certo toque mais vegetal criam um conjunto apetecível e guloso. Presença magnifica à mesa com gastronomia a condizer, a falar transmontano, aiche!

quinta-feira, 5 de março de 2015

Harmonizar o Dia da Mulher Com Vinho

No próximo domingo, dia 8 de Março, é celebrado o Dia da Mulher. Como sei que haverá por aí muito homem a preparar um dia especial à mulher ou às mulheres especiais da sua vida e que provavelmente incluem uma refeição também ela especial, deixo aqui algumas sugestões de vinho para harmonizar com a ementa deste dia.

ESPUMANTE
NINFA BRUTO 2012 | TEJO | PINOT NOIR | PVP 22€
JOÃO M BARBOSA E FILHOS
Um espumante à base de Pinot Noir que quererá beber para numa fase de pré-refeição ou inicio de refeição com comida leve. Elegante e diferente. Marca a sua presença
Teresa Barbosa, filha de João Barbosa que fora um dos proprietários das grandes Caves Dom Teodósio, é a marca registada dos novos projectos Porta de Teira (Tejo) e Lapa dos Gaivões (Alentejo) de seu Pai. Este Ninfa Bruto é sem dúvida um vinho para este dia.

VINHO BRANCO
TRÊS BAGOS SAUVIGNON BLANC 2013 BRANCO | DOURO | SAUVIGNON BLANC | PVP  9,50€
LAVRADORES DE FEITORIA
Exuberante no nariz, com muita fruta tropical e notas vegetais bem ligadas, apresenta bom corpo na boca, perfil seco e com boa fruta fresca. Brilha com marisco, peixe branco, entradas diversas, é um todo o terreno.
Olga Martins é a CEO e Directora Comercial da Lavradores de Feitoria. Uma carreira de sucesso à frente deste produtor duriense brindada recentemente com a distinção de Executiva do Ano 2013.

VINHO BRANCO
CONCEITO 2012 BRANCO | DOURO | PVP 25€
CONCEITO VINHOS
Carregado de mineralidade, fruta citrina e o suficiente, apenas o suficiente de madeira para lhe dar um toque de tosta e fumado leve. Na boca mantém o perfil já encontrado no nariz. Mineral, fresco, acidez estaladiça e um corpo preparado para um bom envelhecimento em garrafa.
Rita Marques, jovem produtora e enóloga no Douro, mas com uma ambição e talento que não passa despercebida. Pertence ao grupo de jovem produtores e enólogos Young Winemakers e foi recentemente distinguida com o Prémio BBC "Jovem Enóloga Prodígio".


VINHO TINTO
NOSSA CALCÁRIO 2011 TINTO | BAIRRADA | BAGA | PVP 25€
FILIPA PATO WINES
Baga fresca, perfumada, fruta preta e azul e aquele toque a bosque e a terra. Na boca está pronto a beber, macio, elegante, mais uma vez cheio de frescura, corpo e vida. Um vinho que pede naturalmente comida. Faça-lhe a vontade.
Filha de um dos mais conhecidos produtores de vinhos Portugueses, Filipa Pato não esconde o berço onde nasceu. Defensora das castas autóctones e da promoção do vinho português no estrangeiro como forma de mostrar a qualidade do que se faz por cá. 

VINHO TINTO
PROCURA 2012 TINTO | ALENTEJO | ALICANTE BOUSCHET, OUTRAS | PVP 30€
SUSANA ESTEBAN
Cor retinta, fechada e concentrada e aromas repletos de fruta preta madura, sem se mostrar com excesso de maturação, mantendo-se fresca, balsâmico, leves notas de folha de tabaco, tostado, complexo. Na boca está poderoso, vivaço, taninos marcantes e definidos num conjunto equilibrado e que funciona.
Susana Esteban, como facilmente se vê pelo nome, não é portuguesa, mas é em Portugal que trabalha o vinho e que aos poucos vai mostrando a sua garra. Primeiro no Douro e agora no Alentejo, esta Galega já mostrou do que é capaz.

LICOROSO
ORIONTE | ALENTEJO | ALICANTE BOUSCHET | PVP 19€
ADEGA MAYOR
Perfeito para uma sobremesa à base de chocolate, a Adega Mayor brinda-nos com este licoroso de cor retinta e opaca, repleto de aromas intensos a amora silvestre e ameixa preta, em compota e com notas apimentadas. Corpulento na boca, untuoso e guloso, com boa acidez, ligeiro toque de pimenta e a fruta seca e passa a completar o conjunto.
Rita Nabeiro poderia ser hoje uma designer de nome ou continuado o percurso da Delta Cafés. Apostou e bem no vinho e neste momento todos quantos conhecem a Adega Mayor sabem o seu nome.

quarta-feira, 4 de março de 2015

Mercado Gourmet & Vinhos Campo Pequeno | 6 a 8 Março 2015

O Mercado Gourmet & Vinhos regressa, uma vez mais, ao Campo Pequeno. A partir da próxima sexta-feira, 6 de Março e até ao domingo, 8 de Março, o Campo Pequeno é a capital do Gourmet em Portugal.
Dos queijos aos enchidos, passando pela doçaria e pelas ervas aromáticas, na nova edição do “Mercado Gourmet & Vinhos” vai ainda haver lugar para os vinhos, gins, aguardentes, cervejas artesanais, entre muitos outros produtos selecionados por especialistas e premiados pelo mundo.
Nesta 4.ª edição do evento, a grande novidade é a existência de um segundo piso vocacionado para o setor das bebidas. Vão marcar presença neste novo espaço cerca de 40 expositores com vinhos, gins, aguardentes, licores e cervejas artesanais.
As “Tasquinhas do Mercado” surgem também nesta edição, no espaço das cavalariças da Arena do Campo Pequeno,  com petiscos e tapas elaborados exclusivamente com produtos existentes no mercado. A “Med Tastes” em parceria com a reconhecida Justa Nobre, a “Casa da Comida”, a “Charcutaria Lisboa” e a “Gourmeceria” são alguns dos nomes confirmados para a dinamização desta zona de convívio gourmet que promete fazer as delícias dos visitantes.
_________________________________
MERCADO GOURMET & VINHOS
Campo Pequeno, Lisboa
6 Março a 8 Março 2015 - 11:00h às 21:00h
Entrada: 1€ (dedutível em compras de valor igual ou superior a 8€.)

terça-feira, 3 de março de 2015

Ripanço Private Selection 2013 Tinto

RIPANÇO PRIVATE SELECTION 2013 TINTO | ALENTEJO | 13,5% | PVP  5,99€
SYRAH, ARAGONÊS, ALICANTE BOUSCHET
JOSÉ MARIA DA FONSECA VINHOS, SA
85 / 100

A Casa Agrícola José de Sousa Rosado Fernandes foi adquirida pela José Maria da Fonseca em 1986. Com ela concretizou-se o sonho da família Soares Franco em produzir vinho do Alentejo numa casa cheia de prestígio e história.
Assim, com este Ripanço, a José Maria da Fonseca trás ao consumidor de vinho mais um pedaço de história, produzindo um vinho com base na técnica que remonta ao tempo dos romanos, tradicionalmente utilizada no sul de Portugal, e que consiste no desengaçamento das uvas à mão com auxílio de uma mesa própria para o efeito chamada de mesa de ripanço.
O resultado é um vinho de cor rubi intenso, de aspecto jovem e limpo. De aromas marcados pela fruta, grande intensidade aromática, muita fruta vermelha e preta, suaves notas fumadas, algum toffee, cheio de frescura. Na boca apresenta um conjunto equilibrado, textura macia, acidez no ponto, fruta madura e com frescura final. Grande vinho para um churrasco de carnes vermelhas.

segunda-feira, 2 de março de 2015

Quinta de Soalheiro | Aqui o Alvarinho é Especial

Aqui o Alvarinho é especial. Rodeada por uma paisagem montanhosa que proporciona as condições ideais de precipitação, temperatura e horas de sol necessárias à óptima maturação desta casta, Melgaço é sem dúvida o berço para o nascimento dos melhores Alvarinho portugueses. 
A Quinta de Soalheiro produz o seu primeiro Alvarinho em 1982. João António Cerdeira cria o primeiro Alvarinho de Melgaço. O Soalheiro.
 
Hoje, passados mais de 30 anos do que literalmente se podia chamar de vinho de garagem, temos uma gama vasta de vinhos, sempre com o Alvarinho como casta dominante, com uma adega moderna, dimensionada às necessidades e uma nova sala de provas.

No topo da adega, a nova sala de provas que abre para o terraço panorâmico permite observar as vinhas, as montanhas que circundam e fecham o vale, a vizinha Espanha e a brisa do rio Minho que passa por perto, uma visão perfeita do terroir único desta região.

O enólogo, Luis Cerdeira, é neste momento o rosto mais visível desta adega. Nota-se o brilho nos olhos e uma certa emoção nas palavras quando comenta que esta renovação foi o concretizar de um sonho familiar, permitindo um espaço que funcionalmente respeita a tradição vitivinícola e enológica desta região e que  abre as portas à descoberta dos diferentes vinhos Soalheiro.

Alvarinho e Soalheiro. Soalheiro e Alvarinho. Indissociáveis. Uma certeza que o futuro quer ainda mais brilhante com a aposta - natural - no enoturismo que com a nova infra-estrutura ganha finalmente espaço.

SOALHEIRO ALVARINHO 2013 BRANCO | VINHO VERDE - MONÇÃO E MELGAÇO | 12,5% | PVP 9,5€
ALVARINHO
VINUSOALLEIRUS, LDA
17
Cor amarelo citrino, aspecto jovem,  algumas nuances esverdeadas. Aromas frescos, maracujá,  mineral. Boca com untuosidade,  fruta,  algum melaço e bom comprimento  de boca. Elegância. Sirva-o à mesa com marisco, peixe grelhado, carnes brancas ou simplesmente desfrute.

SOALHEIRO PRIMEIRAS VINHAS 2013 BRANCO | VINHO VERDE - MONÇÃO E MELGAÇO | 13% | PVP 16€
ALVARINHO
VINUSOALLEIRUS, LDA
17,5
Cor amarelo citrino,  jovem e brilhante.  Aroma com notas bem integradas de estágio em barrica na fruta da casta. Boa intensidade da fruta. Natural. Toranjas. Boca volumosa, com estrutura, com a fruta a pulsar vida, equilibrado e com final fresco e duradouro.

SOALHEIRO ESPUMANTE BRUTO ALVARINHO 2013 BRANCO | VINHO VERDE - MONÇÃO E MELGAÇO | 13% | PVP 14€
ALVARINHO
VINUSOALLEIRUS, LDA
16,5
Cor amarelo citrino, definido. Bolha de aspecto pequeno, fino e persistente. Espuma cremosa, leve e fresca. Fino, cm maçã verde, a secar o palato e a querer preparar a boca para a garfada seguinte.

SOALHEIRO ESPUMANTE BRUTO 2012 ROSÉ | VINHO VERDE - MONÇÃO E MELGAÇO | 13% | PVP 14€
ALVARELHAO,  TOURIGA NACIONAL,  VINHÃO
VINUSOALLEIRUS, LDA
16
Cor salmonada,  claro e definido, adamado com um extra de intensidade.  Bolha fina  e persistente.  Fruta de caroço mais presente, com mais estrutura,  mais complexo e evoluído. Excelente opção para mesa.

SOALHEIRO RESERVA 2013 BRANCO | VINHO VERDE - MONÇÃO E MELGAÇO | 13% | PVP 23€
ALVARINHO
VINUSOALLEIRUS, LDA
17,5
Cor amarelo definido.  Aromas onde a madeira aparece quase imperceptível,  fruta e mineralidade bem detalhados, ligeiros fumados, fresco. Boca larga, corpulento, untuoso. Um Alvarinho todo o terreno à mesa, mas cheio de delicadeza, finess e elegância. Final longo.

______________________
QUINTA DE SOALHEIRO
Alvaredo - Melgaço
4960-010 Alvaredo
Tel: +351 251 416 769
Email: quinta@soalheiro.com
Coordenadas GPS: Latitude: 42.097709 Longitude: -8.30988

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails