quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Em Lisboa Há Paragem Obrigatória Na Ginjinha

Dos tempos de universitário recordo os bons momentos passados à porta desta casa, normalmente em inicio de noite, onde se marcava para aqui o ponto de encontro para descontrair com uma ginjinhas simples ou com elas.
A Ginjinha do Rossio, no Largo de S. Domigos, era ponto de paragem obrigatório. Um copito custava 1 pintor (100$00) e que fazia com que quem esperava pelos mais atrasados nunca apanhasse uma seca.

Casa da Ginjinha Espinheira, conta com mais de um século de histórias de produção deste excepcional licor de Ginja, baseando-se numa experiência adquirida de várias gerações e uma esmerada selecção dos frutos e da guarda de um segredo que a tem recompensado com as mais altas distinções nas exposições em que tem participado. 

Hoje,  continua a ser ponto de referência e de paragem obrigatória. Por vezes há filas, mas sempre a andar com muita rapidez. Ouve-se lá de dentro a pergunta: "Com ou Sem" a resposta sai conforme a vontade e venha de lá copinho raso.

Foi o primeiro estabelecimento em Lisboa (1840) a comercializar a bebida que lhe dá o nome e que rapidamente se transformou num ex-líbris da cidade. Para mim continua a ser o spot para beber uma ginjinha.

Há que agradecer ao conselho que um frade da Igreja de Santo António sugeriu. A Espinheira fez a experiência de deixar fermentar as ginjas dentro de aguardente, juntando-lhe açúcar, água e canela. O êxito foi imediato, quer por ser doce, quer por ser barato, e a ginjinha transformou-se na bebida típica de Lisboa e eu continuo a lá passar sempre que posso.
Vai uma Ginjinha??
_______________________
A GINJINHA
Morada: Largo de São Domingos, 8 1150 - 320 Lisboa
Horário: 9:00h às 20:00 (Todos os Dias)

1 comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails